CABEÇALHO

A LIÇÃO DA BORBOLETA

BORBOLETA

“Um homem estava observando, horas a fio, uma borboleta esforçando-se para sair do casulo.
Ela conseguiu fazer um pequeno buraco, mas seu corpo era grande demais para passar por ali.
Depois de muito tempo, ela pareceu ter perdido as forças, e ficou imóvel.

O homem, então, decidiu ajudar a borboleta; com uma tesoura, abriu o restante do casulo, e libertando-a imediatamente.
Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.
O homem continuou a observá-la, esperando que, a qualquer momento, suas asas se abrissem e ela levantasse vôo.
Mas nada disso aconteceu; na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas, incapaz de voar.

O que o homem – em sua gentileza e vontade de ajudar – não compreendia,
era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura foi o modo escolhido pela natureza para exercitá-la e fortalecer suas asas.”

Moral da História
Algumas vezes, um esforço extra é justamente o que nos prepara para o próximo obstáculo a ser enfrentado.
Quem se recusa a fazer este esforço, ou quem tem uma ajuda errada, termina sem condições de vencer a batalha seguinte, e jamais consegue voar até o seu destino.

Vejo este tipo de atitude muito comum quando se está criando uma criança.
A tendência é que pais evitem que filhos caiam no chão e se machuquem, em vez de compreenderem que a criança, ao cair no chão, sente dor e aprende
– desde muito cedo – que cair no chão causa lesões.

"Toda longa caminhada começa sempre com o primeiro passo"
"Eduquem as crianças e não será necessário punir os adultos"